Dez Filmes (Com Carros) Essenciais

on

Nesses quase três anos de Parachoques Cromados, passaram por aqui algumas dicas de filme. Resolvi compilar dez deles em forma de lista, mas, de forma alguma, se trata de um ranking, mesmo porque, seria impossível escolher “O” melhor. Pelo menos esse que vos escreve não consegue fazer esse tipo diferenciação. Acredito que cada filme, música, carros ou qualquer coisa que eu se goste muito te cativa de uma forma única. Eis os 10:

Encurralado, 1971 (Duel) – Bem antes dos tubarões, et’s e dinossauros, Steven Spielberg estreava para o mundo cinematográfico transportando angústias para as salas escuras em “Duel”, de 1971, aqui no Brasil intitulado ”Encurralado”. A trama do filme é bem simples e o seu acerto é transformar um desentendimento corriqueiro de trânsito, entre um motorista e um caminhoneiro misterioso, em uma caçada doentia. O carro, um Plymouth Valiant 1971 é guiado pelo personagem principal, interpretado por Dennis Weaver. Já o caminhão, um Peterbil 281 1955 tem um condutor misterioso cujo rosto nunca aparece

.

Viver e Morrer em Los Angeles, 1985 (To Live and Die in L.A.) – A trama da fita é baseada no livro escrito por Gerald Petievich, que também ajudou na confecção do roteiro. O filme conta a história de dois agentes, interpretados por William L. Petersen e John Pankow que tem a missão de prender um falsificador. O auge dos acontecimentos é quando os dois agentes são surpreendidos por bandidos enquanto interrogavam um suspeito. A bordo de um Chevrolet Impala 1981 os dois começam a tentar escapar de um Mercury Grand Marquis 1985, que ganha o reforço ainda de um Caprice 1981 e um Malibu 1979.

O Esquadrão Implacável, 1973 (The Seven Ups) – trata de um filme policial estrelado por Roy Scheider, o mesmo que atuou em “Tubarão”.  Scheider é um tira renegado que faz parte da “Seven-Ups”, uma força paralela da polícia que usa táticas não ortodoxas. O auge do filme é protagonizado por dois Pontiacs, ambos 1973. Em fuga é um Grand Ville e o e perseguindo  um Ventura Coupe. Toda a sequência foi filmada em Nova York e há uma semelhança com as cenas em Bullit e não é por acaso. A qualidade e realismo da perseguição deve ser creditada a Philip D’Antoni. O produtor e diretor desse filme, tem em seu currículo, a produção das cenas de perseguição em Bullit e French Connection (Operação França).

Operação França, 1971 (The French Conection) – Em uma das cenas climáticas do filme, James “Popeye” Doyle interpretado por Gene Hackman, confisca um Pontiac LeMans de um civil e inicia uma perseguição alucinante à um metrô, em via suspensa, nas ruas do Brooklyn, em Nova York. O realismo da cena faz com que ela seja lembrada frequentemente como uma das melhores quando o assunto é perseguição nos cinemas. Segundo o site wikipedia, o carro sobrevivente usado no filme foi leiloado e arrematado por U$ 350 mil pelo rapper David Banner.

Bullitt, 1968 – Onde você estava em 1968? Você poderia ter aberto a seção de cinema do jornal e ler uma resenha sobre o recém-lançado filme Bullitt. O National Observer, disse: “Tudo o que você já ouviu falar sobre a cena de perseguição de automóveis em Bullitt provavelmente é verdade … uma história comovente, aterrorizante e ensurdecedor.” A revista Life, escreveu: “… um filme policial com um toque de gênio … uma seqüência de ação que deve ser comparado aos melhores da história do cinema.” Um Dodge Charger e um Ford Mustang na tela grande do cinema, não poderia ser outro resultado.

60 Segundos, 1974 (Gone In 60 Seconds) – Visionário, louco, astuto, diretor, roteirista, dublê, ator e corajoso, muito corajoso. Estas são algumas das qualidades que H.B. Halicki (guarde bem este nome) conseguiu reunir durante as filmagens de “Gone In 60 Seconds (1974). Sim, você não leu errado, 1974. Esqueça aquela refilmagem babaca com Nicolas Cage e Angelina Jolie, feita em 2000. Com menos recursos monetários e tecnológicos do que seu homônimo mais recente, o Gone In 60 Seconds, de 36 anos, atrás produziu a cena mais longa de perseguição da história do cinema, com 34 minutos. O mais impressionante é que tudo foi feito de forma independente.

Corrida Contra o Destino, 1971 (Vanishing Point) – O filme, produzido em 1970 e lançado nos Estados Unidos em 15 de janeiro de 1971, é sobre um motorista de entrega de carros, James Kowalski (interpretado por Barry Newman). James trabalha para a Argo’s Car Delivery Service e, após entregar um Chrysler Imperial preto, é sugerido pelo chefe que descanse. Mas Kowalski ignora a sugestão e insiste em fazer sua próxima tarefa na mesma noite: Entregar um Dodge Challenger R/T em São Francisco.

Fuga Alucinada, 1974 (Dirty Mary, Crazy Larry) – No fim da década de 60, começo de 70, um gênero de filme fazia sucesso com o público americano, eram chamados de ‘Road Movies’. Essas fitas, normalmente envolviam personagens anti-heróis a bordo de um V8, fugindo da polícia e cruzando pelos Estados Unidos. Assim como Corrida Contra o Destino (Vanishing Point, 1971), Fuga Alucinada (Dirty Mary, Crazy Larry, 1974) tinha todos os elementos que fazem um fã de Muscle Car sorrir. Em um primeiro momento, os personagens estão à bordo de um Impala 1966 4 portas SS, equipado com o mais poderoso V8 disponível de fábrica, o 427 cu in de 7 L. Para despistar seus perseguidores, os personagens fazem uma troca de carros. Em uma fazenda um Dodge Charger R/T 1969 os aguardava para fazer companhia pelo resto do filme.

Fear Is The Key, 1973 – A trama é baseada em um livro britânico de mesmo nome, escrita em 1961. Um homem – Barry Newman, o astro de Corrida Contra O Destino (1971) – quer vingança e busca os responsáveis pela morte de seus pais, mortos em uma queda de avião. Para tanto,  Newman se passa por um criminoso para se aproximar da organização que deu sumiço na carga da aeronave. Na sequência em que faz o filme aparecer em nosso blog, Newman e a atriz Suzy Kendall fogem da polícia a abordo de um enorme, cerca de 5.27m, Ford Torino 1972. Pelo lado da lei, e não menos gigantescos (5,63m), alguns Pontiac Catalina do mesmo ano tentam manter os fugitivos por perto em mais uma perseguição clássica da era de ouro para esse tipo de cena.
Corrida Sem Fim, 1971 (Two-Lane Blacktop) –  O enredo é bem simples. Dois amigos, retratados apenas como “Motorista” (James Taylor, músico) e “Mecânico” (Dennis Wilson, baterista do Beach Boys), viajam pelo país – em um Chevy 55 preparado artesanalmente – e sua única forma de renda vem de apostas em corridas. Em uma dessas viagens, são desafiados por um corredor (Warren Oates) a bordo de um Pontiac GTO. Este personagem também é apenas retratado como “GTO”. O desafio consiste em uma corrida até Washington D.C., onde o perdedor, perde o carro. Em meio a tudo isso, os três personagens “Motorista”, “Mecânico” e “GTO”, disputam a atenção da “Garota”, interpretada por Laurie Bird.

 

 

32 comentários Adicione o seu

  1. Jander disse:

    Os melhores filmes estão ai Duel e um filme incrivel daqueles que prendem voce na frente da tv,to live and die in LA,the seven ups e the french connection são filmes onde ha um grande suspense na trama e cenas de perseguição bem coreografadas,bullit e gone in 60 seconds,tem as cenas de perseguição mais famosas da historia,vanishing point e dirty mary crazy larry são grandes road movies que são aclamados ate hoje tanto nos carros,na historia e nos personagens,fear is the key e mais um exemplo que não fazem mais cenas de perseguição como antigamente e nem carros como antigamente e two-lane blacktop e um filme simples porem bem feito prova de que não presisa de roteiro super complicado para fazer um grande filme,todos esses são grandes filmes a sua maneira muito legal a postagem Daniel um abraço.

  2. Renon disse:

    Daniel, tem duas sequencias que eu gostaria de acrescentar à lista:
    1 – The Blues Brothers (é meio pastelão, tem uns absurdos, mas cabe na proposta do filme)

    Aliás, que carro é aquele dos irmãos cara-de-pau?

    2 – Stallone Cobra

    1. Renon,

      Não esqueci desses, mas se você reparar, verá que coloquei apenas filmes que já havia escrito sobre aqui no blog. São dois bons exemplos, em breve verá eu falando deles. O carro dos Blues Brothers é um Dodge Polara (americano) 1974 com motor V8 de 440 polegadas cúbicas. Outros filmes que estarão em uma segunda lista são o Mad Max e Christine, este último não coloquei porque havia acabado de escrever sobre.

      Abraço!

      1. Herbert disse:

        Não amigo, o carro dos Blues Brothers é um Dodge Monaco 1974, um grande carro! Modelo muito usado pela polícia norte americana. Consegui um modelo daquele há algum tempo atrás, mas vendi para então comprar um Dodge Challenger R/T 1970, e hoje tenho um Dodge Charger R/T 1969 também. Ambos importados dos States. Forte abraço!

  3. Renon disse:

    Boa Daniel, vou esperar pelos posts então. As cenas já conheço, mas gosto dos detalhes que você acrescenta sobre os carros.
    É interessante isto. Depois que comecei a ficar mais atento com os carros antigos, é um prazer assistir filmes antigos.

    Abs,

  4. Mateus Luiz disse:

    Daniel olha isso: http://www.grufoos.com/129-200-Ford-Mustang-GT-Coupe-V8#Ancla , esse ai é um Mustang GT 1969, vinho, mas é aquele sedan, isso é uma modificação ou é original, porque não parece ser original…Mas olhe você, com seus olhos profissionais.

  5. Jander disse:

    Essa cena do stallone cobra realmente e demais pena que o ford mercury modificado e destruido .

  6. bento disse:

    Daniel vc sabe onde encontra esses filmes? procurei na internet mais nao achei nehnum pra assisti online

  7. Gian disse:

    No filme 60 Segundos notei a presença do ilustre piloto Parnelli Jones! Ele apareceu no filme em algumas partes, ou apenas como dublê? Estou curioso, hehe

    1. Paulo Roberto de carvalho disse:

      Gostei da relação de filmes, tenho um dodge magunum 1979 lindo

  8. ricardo ventura disse:

    faltou THE DRIVER.

    e o filme de CLAUDE LELOUCH

    1. Olá,

      São boas sugestões, mas se você reparar, verá que coloquei apenas filmes que já havia escrito sobre aqui no blog. São dois bons exemplos, em breve verá eu falando deles.

      Abraço!

  9. Marcelo Terapia disse:

    Dê uma olhada também em: Em busca da Vitória. Um filme antigo com um Hemi big block montado eu um willys 40 para arrancada e recheado com um blower. É o mais clássico de todos.

    1. Valeu pela dica Marcelo, vou dar uma pesquisada!

  10. Lucas Nascimento disse:

    no youtube o filme gone in 60 seconds esta disponivel completo , legendado realmente um filme muito massa

    1. Paulo Roberto de carvalho disse:

      Gostei tambem de 1974.

  11. norberto disse:

    gostaria te saber sobre filme burt reinolds olds 1955 cupe so´assisti uma vez na t.v. ano 1975 mais ou menos

  12. Eduardo disse:

    agarre se me puderes e trilogia de mad max,

  13. Alexandre Piloto disse:

    Como vocês deixaram de fora o filme Christine, o carro assassino? Um clássico, onde conta a história de um caso de amor extremo do dono(e vice-versa)pelo seu Plymouth Fury 58 vermelho possuído pelo mal…Cenas maravilhosas e um excelente enredo…Vacilo!

      1. Alexandre Fabiano disse:

        Agora vem com matéria anterior? Vacilão! O filme que falei tinha que está naquela matéria….Agora não adianta meu camarada! Me mostra uma matéria de outro dia! Ah! tá de brincadeira! Não entenderam? Abraço!   O vacilo maior foi seu, sabe disso!

      2. Bom, não é você que vai determinar o que vai aonde nesse blog.
        Já havia feito duas matérias exclusivas sobre o filme, julguei que nesse post colocaria filmes menos conhecidos.
        E por favor, vamos parar de adjetivar quem não conhecemos.

        Abraço.

      3. Alexandre Fabiano disse:

        Não quero mandar em porcaria de blog nenhum, faça bom proveito dele(vim parar aqui sem querer), tá achando que é o que? Melhor para mesmo de adjetivar….Realmente não me conhece….Abraço e morre o assunto!

      4. Alexandre Fabiano disse:

        Lhe respondia pelo meu email, e aparecia no seu blog…Agora seu email não chega pra mim, vai direto para a caixa de spam, e será banido sem prévia leitura! Melhor pra você!, posso descer o nível, e não vai ficar legal pro seu bloguinho! Abraço!….

  14. Alexandre Piloto disse:

    Hoje em 5:59 PM

    Agora vem com matéria anterior? Vacilão! O filme que falei tinha que está naquela matéria….Agora não adianta meu camarada! Me mostra uma matéria de outro dia! Ah! tá de brincadeira! Não entenderam? Abraço! O vacilo maior foi seu, sabe disso!

  15. Alexandre Piloto disse:

    Lhe respondia pelo meu email, e aparecia no seu blog…Agora seu email não chega pra mim, vai direto para a caixa de spam, e será banido sem prévia leitura! Melhor pra você!, Posso descer o nível, e não vai ficar legal pro seu bloguinho! Abraço!….

    1. Vejamos,

      Você disse que cometi um “vacilo” por não incluir o filme que você queria naquela matéria.

      Respondi numa boa, achando que fosse uma brincadeira quando você disse “Vacilo” e Respondi que o “vacilo” foi seu, pois já havia falado sobre o filme que você queria anteriormente em duas outras matérias.

      Você replica insistindo e, de forma – no mínimo – arrogante diz “Vacilão! O filme que falei tinha que está naquela matéria… Agora não adianta meu camarada! Me mostra uma matéria de outro dia! Ah! tá de brincadeira!”

      Percebi que você não estava brincando e sua intenção era ofender e respondi que não é você que determina o que vai onde no blog. Sugeri ainda que ambos (eu e você) deixássemos de nos adjetivar (Vacilo e suas variações) porque não nos conhecemos.

      Você escreve novamente e em um argumento confuso responde: “Não quero mandar em porcaria de blog nenhum”. Mas anteriormente já havia dito “”Vacilão! O filme que falei tinha que está naquela matéria…”. Depois diz “tá achando que é o que?

      Não acho que não sou ninguém muito importante. Mas quem veio até o blog (sem querer ou não), abriu a seção de comentários para escrever ofensas foi você. Ainda respondi pacientemente, procurei os links exatos com as matérias sobre o filme que você tanto queria para satisfazer sua curiosidade. O que não adiantou, só lhe gerou mais raiva por alguma razão. Na sua cabeça, o filme de qualquer maneira teria que estar naquela matéria.

      Realmente não te conheço, mas pelas suas repostas fica claro que tipo de pessoa você é e fico muito grato de não ter tido esse desprazer.

      Abraço;

      1. Alexandre Piloto disse:

        Daniel, lhe peço mil desculpas ! Sou um cara do bem, mas estava passando por uma época de muito nervoso (stress), estava escrevendo e falando no dia-dia de forma muita agressiva, sem perceber, quando falou que o vacilo foi meu, achei que fosse em tom de ofensa (eu estava ofendendo as pessoas, e não permitia o contrário), lhe peço mil perdões, seu blog é muito bom, na hora da cabeça quente a gente fala qualquer coisa ! Mas hoje está tudo bem (Graças a Deus), não quero que guarde uma má impressão de mim (até porque sou totalmente do bem, temente à Deus), Fui muito infeliz nas minhas palavras (perdão mesmo) Tinha jogando seus comentários de respostas para a caixa de spam ! Hoje Deus me direcionou para cá, sem eu perceber, e lí sua resposta deu pra perceber que você é uma pessoa fina, educada, tem argumentos (um gentleman). Fica com Deus, muita paz, saúde e virei fã do seu blog ! Abraço irmão ! Somos irmãos, porque compartilhamos o mesmo amor pelos carros e o mundo automobilístico ! Como falei, foi uma fase, não sou assim ! Perdão !

  16. Marcos Túlio disse:

    Grant Page, o principal duble de Mad Max, fez a cena do Pursuit atravessando o trailer com a perna quebrada. Kd o Mad Max de 1979?

  17. Mumu gon disse:

    Tem um filme americano em que o carro se parece com um opala e ele sofre todo tipo de batida e disputas com outros carros mais o vidro nunca se quebra e é bem escuro pq não se consegue ver o motorista.

    Idéias?

    o/

  18. Rudi Martins disse:

    Man…curto muito um filme anos 70….return to macon county…
    filme B…bem divertido…com cenas bem bacanas…de carros
    um abraço

  19. Gustavo disse:

    Nasci em 1980, mas amo carros, motos, e claro, um bom bagaço!!! (couro, pegas, etc…) rsrs
    Algumas cenas que assisti são infinitamente melhores do que os filmes de hoje em dia. Que ao ínves de usar carros de verdade e pilotos para fazer as cenas, usam computação grafica. (porcaria)

    Um filme que assisti muito desde os meus 8 anos de idade foi THE WRAITH (A APARIÇÃO)
    Filme muito legal sobre carros e pegas em uma estrada sinuosa na California.

    Um abraço

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s