Talladega x Daytona

on
Daytonas, um Torino e um Charger 500. Retrato perfeito do que foi o período.

A Nascar, há mais de 40 anos, rendia duelos muito interessantes dentro e fora das pistas. O mais notável deles acontecia entre a Ford e a Chrysler, representadas principalmente por Torinos e Chargers respectivamente. De 1962 a 1967, o Torino era um modelo intermediário que, até então era uma versão mais barata do Fairlane.

Ford Torino 1969 e suas linhas aerodinamicamente privilegiadas.

A partir de 1968,  as coisas mudaram para o modelo que, mercadologicamente, trocou de lugar com o Fairlane.  Nas pistas da Nascar, graças a aerodinâmica de seu desenho fastback, fez muito sucesso nos anos de 1968 e 69. O Torino foi tão dominante que a Chrysler precisava reagir no campeonato.

Em 1968 o Charger apareceu renovado, mas...

A Chrysler havia lançado um Charger totalmente remodelado em 1968. Suas novas e belíssimas formas eram muito pouco funcionais nos ovais. A começar pela grade frontal que, com sua grande abertura, sugava uma grande quantidade de ar,  deixando o mais lento que seu principal adversário. Outro detalhe que atrapalhava o popular carro da Dodge eram as extensões de sua coluna C. Tal aparato estilístico causava turbulência em altas velocidades.

Os pouco valorizados Muscles da Ford.

Diferente de hoje em dia, onde todos os carros são “bolhas”  idênticas, com a mesma motorização que pouco lembram os carros de rua, a Nascar em 1969, para homologar a participação de um modelo específico, exigia que as montadoras fabricassem, pelo menos, 500 unidades para serem vendidas ao grande público naquele ano. para 1970, esse número saltaria para 3.000.

... precisou da versão especial "500" para reagir nas pistas...

Amparada por essa regra, a Dodge, criou uma versão específica do Charger para a Nascar, “corrigindo” seus “defeitos” de design. Surgia assim, uma das versões mais belas – na humilde opinião de quem vos escreve – o  Dodge Charger 500 1969. Esse modelo tinha uma grade fixa e sem as tais extensões em suas colunas. Essas mudanças surtiram pouco efeito dentro das pistas, e o Torino continuou dominante.

Ford destacava seu sucesso em 1969 nas pistas com diferentes modelos.

Não por acaso. além de seu desenho aerodinâmico, o modelo – cujo o nome era inspirado na cidade de Turim, na Itália, considerada a Detroit daquele país – era equipado, na versão Tallagega, com os gigantescos e poderosos V8 de 428 e 429 polegadas cúbicas (7.o).

...a resposta só veio com o Daytona.

A resposta definitiva da Chrysler veio do túnel de vento ainda em 69. A marca da estrela de cinco pontas instalou um nariz pontudo e um aerofólio enorme na traseira do Charger e lhe deu o nome de Daytona. No ano seguinte o mesmo aconteceu com o Roadrunner, que ganharia o sobrenome de Superbird.

Fred Lorenzen com seu Daytona, 1969.

À partir daí, a Chrysler se tornou tão dominante em 1969 e 1970 que a Ford ameaçou deixar a categoria, o que fez a Nascar proibir qualquer acessório aerodinâmico, matando assim, os Wing Cars (Carros Asa) da Dodge e Plymouth.

Desvalorizado hoje, o que para alguns, pode ser o melhor investimento para o amanhã.

O curioso desse duelo é que, todos esses anos depois, o Torino não conseguiu, mesmo com toda sua tradição nas pistas, a mesma valorização de outros Muscle Cars sem esse pedigree. Especialistas creditam essa derrota à seus problemas de corrosão que vieram nos anos seguintes. Segundo publicações da época, o Torino era o intermediário mais desvalorizado da década de 70.

10 comentários Adicione o seu

  1. Jander disse:

    Gosto muito do ford torino em especial o torino cobra tambem o modelo do filme fear is the key que voce ja falou aqui parabens Daniel.

    1. Eu também Jander. Esses 1969, pelo menos na minha impressão, são os ‘patinhos feios’ entre os Muscle Cars, mas gosto deles mesmo assim. Abraço e Obrigado!

  2. Mateus Luiz disse:

    Daniel, meu pai é professor, e em seu PHD aqui em MG, conheci um professor que gosta de carros antigos, e me mandou um e-mail com várias fotos de cegonheiras Ford, Chevrolet e uma marca de caminhão antigo que não conheço, juntamente com algumas releituras do Eduardo do Irmão Do Decio, já te mandei, olha que legal

  3. Mateus Luiz disse:

    desculpe, mas não estou conseguindo mandar

    1. Sem problemas Mateus, se não me engano, um colega já me enviou esse email com as ceginheiras. Grande abraço!

  4. Gian disse:

    Agora entendi o motivo de terem feito a versão 500 do Charger.
    Nesta matéria, meu favorito é o Plymouth Superbird. Imagine um com as cores do ” Rei ” Richard Petty

    Abraço

  5. Vinicius disse:

    O que você acha que anda mais, um Torino Cobra Jet ou um Dodge Charger R/T?

  6. Allan Danillo Lemes Tenca disse:

    Sou fã tanto da Dodge (Chrysler) como da ford, mais convenhamos…. a Ford apelou em ameaçar sair da nascar pr não aguentar a volta por cima da Dodge (Chrysler) com seus “poderosos” charger Dytona e Road runner super bee !

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s