O Outro Lado do Rio Detroit

Os longos braços da General Motors, já na década de 60, alcançavam os quatro cantos do mundo. Bem antes do termo globalização se tornar popular, a estrela maior de Detroit se via representada, praticamente, em todos os continentes. No seu vizinho do outro lado do rio Detroit, o Canadá, ao contrário do que se possa imaginar, a GM criou modelos próprios para o mercado daquele país graças as leis rígidas de importação. O mais notável deles, foi o Pontiac Beaumont SD.

A Pontiac canadense era uma espécie de “cruzamento” da marca com os Chevrolets. Os modelos usavam a carroceria e conjunto de transmissão / motor da marca engravatada, com interior e elementos estilísticos da divisão de nome indígena. Os nomes de alguns modelos também eram mais pomposos, como Parisienne e Laurentian. Bem ao gosto mais europeizado do canadense médio.

O Beaumont fez sua primeira aparição em 1964, ainda como uma versão do já estabelecido – Acadian – e usava a unidade de força ecãbio do vizinho, Chevelle SS. Já o painel era cortesia do Pontiac Tempest. Assim como os SS nos Estados Unidos, o comprador canadense podia optar pelo pacote SD (Super Deluxe) na concessionária Pontiac mais próxima, embora o manual ou material de divulgação pouco mencionasse o nome da divisão.

Em 1966, o Beaumont tornou-se um modelo único, usando a mesma carroceria base nos médios americanos daquele ano, como o Chevrolet Chevelle, Pontiac GTO, Buick Skylark e Olds Cutlass. O carro tornava ainda mais evidente a relação “incestuosa” entre as divisões americanas. Era uma mistura clara de Pontiac GTO com Chevrolet Chevelle.

No ano seguinte, com a ascensão das cilindradas em ambos os lados da fronteira, o Beaumont já podia ser encomendado com o V8 de 396 cilindradas cúbicas (6.4 L) de 350 hp junto com o câmbio manual Muncie M20 de quatro marchas. No entanto, os canadenses não podiam encomendar a versão desse motor com 375 hp, que era oferecida na terra do Tio Sam.

Para 1968, o Beaumont se tornou mais parecido com o Chevelle daquele ano, com diferenças mais sutis. A frente lembra muito a linha Pontiac daqueles tempos, mas o restante do carro é muito parecido com o Chevy médio. Os mesmo motor ainda era oferecido até o ano seguinte. A GM teve que criar esses carros únicos devido as leis de exportação e importação entre os dois Países. Com o relaxamento dessas normas em 1970, o Beaumont e toda sua “mistura” se tornaram desnecessários e o modelo foi descontinuado.

Para mais informações sobre os V8 Canadenses acesse o fórum Canadian Poncho. Se você quiser ver outras fotos relacionadas a esse post, acesse nossa página no Facebook.

13 comentários Adicione o seu

  1. Nik disse:

    Esse post eu quero ler com calma…

  2. Jander disse:

    Daniel não sei se voce conhece o site americano CARS IN BARNS.COM ele mostra fotos de carros abandonados que nem o carros inuteis so que e nos EUA uma foto mais terrivel que a outra Mopars, wing cars, chevrolet, ford alguns infelismente irrecuperáveis e varias raridades.

    1. Oi Jander,

      (In)felizmente, conheço sim. Já até postei alguma coisa aqui.

      Abraço

  3. Gian disse:

    É estranho imaginar um modelo derivado da Pontiac com mecanica do Chevelle ! Não era mais fácil colocar um Pontiac Tempest disfarçado para ser vendido por lá ? É um belo carro, mas estou confuso com esta mistura ! rsrsrsr

    Grande Abraço !

  4. Jander disse:

    No youtube tem uma cena de perseguição de um filme italiano de 1972 estrelado por Kirk Douglas chamado the master touch que mostra um plymouth belvedere e se não me engano um opel admiral em uma impressionante perseguição.

  5. Mateus Luiz disse:

    O Beaumont era pra quem ficava em dúvida entre comprar o GTO ou o Chevelle rs, mas as linhas do 68 eram identicas as do Chevelle, apenas muda a frente, quando apenas estava dando uma “folheada” no post sem ler o texto, obsrvando apenas as fotos eu achei que era tipo um Opel Ascona com o Opala brasileiro, tipo, era um Chevelle de outro país.

    Ja desenhei seu Jeremias à mão como tinha falado, mas ele tá no notebook do meu pai, que por acaso ele levou para cidade vizinha na casa da minha avó, vou ver se até o final da semana eu mando para você.

    Abraços Daniel

    1. Obrigado Mateus,

      Tenho uma pasta onde guardo os documentos e notas fiscais com os seviços feitos no Jerê. Assim que possível, vou colocar um deseus desenhos na capa dela.

      Abraço.

  6. Mateus Luiz disse:

    Achei interessante para a venda, olha ai o site:

    http://adotecarrosvelhos.wordpress.com/2011/02/24/chevrolet-opala-1971/

    um raro opala 71!

  7. Mateus Luiz disse:

    Ja mandei Daniel o desenho, e achei ummjeito de colocar uma foto minha, eu tinha Facebook rs

  8. Mateus Luiz disse:

    Digo, mandei o desenho pra vc Daniel

  9. Mateus Luiz disse:

    As vezes não consigo entrar no Facebook, mas seu blog é focado apenas em muscles e luxuosos ou em nacionais mais baratos também como o Fusca ?

    1. Já postei sobre Fusca, Corcel, Brasília e afins. Posto sobre coisas que eu gosto e também sobre algumas coisas que não são tão conhecidas ou que não tem na nossa língua. Vá no sistema de busca que você encontrá coisas diferentes.

      Abs.

  10. Juan Carlos disse:

    Legal esse post,as propagandas e desenhos da época são muito bem feitos,e hj em dia p/muitos de nós isso soa nostálgico,é como se mesmo ñ vivendo esas épocas,essas imagens parecem nos fazer lembrar de algo…parabéns,gostei de ver!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s