Ford Mustang 1968: Edição Bullitt

No último post falamos como o cinema contribui para a criação de mitos automobilísticos. Um dos maiores ícones sobre rodas da sétima arte, agora está ao alcance de alguns poucos afortunados.

A empresa especializada em customização, Gateway Classic Mustang, em parceria com os detentores da marca Steve McQueen, irão recriar um número limitado de réplicas do famoso carro, guiado pelo ator, no filme Bullitt.

A empresa promete entregar um carro visualmente idêntico, mas com algumas melhoras técnicas, principalmente em termos de performance e dirigibilidade. A começar pelo motor V8 de alumpinio, comissionado pela Roush, que produz 450 hp, 27 % a mais que a unidade força original.

As famosas rodas American Racing também estão presentes, calçadas por pneus BF Goodrich, atrás delas, freios a disco Baer de 11″ na frente e 12″ na traseira. O câmbio é Keisler manual de cinco marchas com dupla embreagem hidraulica. O carro ainda conta com ar condicionado e sistema de som, tudo respeitando a originalidade do clássico Mustang 1968.

Se você não mora em San Francisco, não é uma estrela Hollywoodiana, não tem um Dodge Charger 1968 na sua captura e muito menos a grana, clique nas fotos, todas em uma boa resolução.

4 comentários Adicione o seu

  1. Gian disse:

    Daniel, eu assisti o filme, e acho que trocaram os carros. Acho que este deveria ser pilotado por Steve McQueen. Outra coisa, o capricho nos detalhes, como o cofre e motor refletidos na pintura do capo ! Impressionante !

    Abs

    1. Ficaria satisfeito com uma refilmagem. Dessa vez, uma história com pé e cabeça, porque o filme original, tirando a perseguição é extremamente lento e confuso…rs

      Abs

  2. Charlinho disse:

    Prefiro o Charger…” mopar or no car ” . haahahahahahah…a perseguição é boa e McQueen era O cara, mas lamentável a destruição do Charger ao fim da perseguição, de cortar o coração mesmo. Se refilmarem Bullit, fica a sugestão de montarem um Charger “fake” em cima de um hyundai ou kia, pra não causarem tristeza em ninguém ao destruir o carro ao fim da perseguição.

    1. Então Charlinho,

      É o que foi dito nos comentários do último post. O que conforta nos filmes antigos é que, quando um carro é destruído, outros 1000 saíam da linha de montagem naquele mesmo dia. É o caso de Bullitt, cujo o ano do filme e dos automóveis são os mesmos. O duro é ver um Charger 68 capotando na refilmagem do Corrida Contra o Destino, de 1996. Lembro do meu irmão, tentando se enganar. “É um efeito de câmera”. Sei…rs Pior, a cena nem existia no original…rs

      Abs

      (obs. Também prefiro o Charger 68, junto com o Road Runner do mesmo ano, meus Muscles favoritos).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s