A História de Wendell Scott

Alguém disse certa vez, “Só entro em clubes que me aceitam como sócio”. A história do primeiro piloto negro da Nascar é exatamente a luta contra essa afirmação. O sul dos Estados Unidos, região onde a Nascar foi criada e se desenvolveu, até o final da década de 60, era racialmente segregado por lei. Ou seja, vários Estados sulistas proibiam que negros frequentassem os mesmos lugares que os brancos.

É nesse contexto deplorável que a história do piloto Wendell Scott se desenvolve. Durante sua carreira, Scott enfrentou, além da limitação orçamentária de sua equipe independente, decisões arbitrárias da direção da Nascar, como não aprovar seu carro sem motivo aparente, outros pilotos que tentavam tirá-lo da corrida e hostilização da torcida.

A carreira de Scott virou livro o “Hard Driving” escrito por Brian Donovan e também um documentário, produzido pela ESPN americana, que estão disponíveis no Youtube (não sei por quanto tempo) em inglês, dividido em 5 partes.

Muito mais que uma história sobre um piloto de corridas, é uma lição de vida. Recomendadíssimo.

9 comentários Adicione o seu

  1. Charlinho GRINCH disse:

    capirada red neck…em vídeos das antigas da Nascar é figura onipresente a tal bandeirinha confederada, e até o Montoya mais recentemente andou sofrendo discriminação na Nascar; poxa, eu sou um cara politicamente incorreto e sacana, e de humor irônico e ácido, mas as coisas tem limites, racismo e discriminação não cabem em lugar algum.

    1. Pois é Charlinho,

      Assiste hoje, novamente, e não tem como não se emocionar. Em sua única vitória, em 1962, abordo de um Impala, Wendell chegou a dar 3 voltas no segundo colocado. A direção de prova, esperou ele passar as três vezes e deu a bandeirada pro segundo colocado. Wendell viu a festa do pódio e nada pôde fazer. Quando público e os outros pilotos foram embora, ele recebeu o prêmio em dinheiro, mas nunca recebeu o troféu. Em uma cerimônia póstuma, apenas em 2010, a família recebeu o troféu e levou até o túmulo de Scott.

      E ainda tem gente que vem aqui e diz que a bandeira confederada representa a liberdade… Vai entender.

      Abraço.

  2. Charlinho GRINCH disse:

    *ops, caIpirada

    e sem discriminação, afinal de contas, eu também sou caipira. mas caipira metido a besta, que veio pra cidade grande e se acha cosmopolita, hahahaha

  3. Gian disse:

    Fez 3 voltas nos adversários, e fizeram festa para o 2º colocado ? Que vergonha…..
    Ah, tem outro filme ótimo, não é sobre carros, mas fala sobre a segregação racial.
    Se chama ” Homens De Honra ” sobre o primeiro negro mergulhador na Marinha Americana. Recomendo !

    Abraço !

  4. Diego Silva disse:

    Antes eu achava que o primeiro piloto negro da história do automobilismo fosse Willy T. Ribbs, mas depois de ler esta matéria, vejo que houve outro além dele. E quantos mais não terão existido?

    1. Olá Diego,

      Pois é, também poderei sobre isso, difícil saber com precisão.
      Se não há registros históricos fica quase impossível saber.
      Abraço e obrigado pela visita.

  5. jose disse:

    pra encontrar racismo não precisa ir aos EUA , aqui mesmo no Brasil tem bastante e bem explicito- pior é quando quem é racista contra o negro nem , branco é- tem racista de todo tipo e cor, definida ou não- tem gente que acha que negro é so pra carregar caixas e empurrar armarios no serviço, não lhe dando promoção por merecimento ou qualquer forma de consideração de sua capacidade.

  6. Diego Silva disse:

    Olá à todos!!![

    Recentemente, em pesquisas na net, tenho visto que há um considerável número de pilotos afroamericanos competindo, principalmente nas categorias de base da NASCAR. A mais recente notícia que vi foi a primeira mulher afrodescendente a correr na categoria principal da NASCAR: Tia Norfleet.

    Agora, diante do que acabei de escrever, eu faço a seguinte pergunta: será que a presença de pilotos afroamericanos nas categorias de base da NASCAR seria uma forma de limpar de todas as injustiças que foram cometidas contra Wendell Scott na década de 60?

  7. Diego Silva disse:

    Oi Daniel!!! Sou eu novamente, Diego Silva.

    Cara, não é que é curioso como as coisas são? Há alguns tópicos atrás eu tinha perguntado se não teriam existido outros pilotos de corrida afroamericanos. Pois numa dessas pesquisas acabei descobrindo que, SIM, houve outros antes dele.

    Veja mais no seguinte link abaixo. Ele está em inglês, mas você vai saber do que se trata:

    http://www.quartermilebrothers.com/blackhistoryissue2010.html

    Saudações e até uma próxima, meu caro!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s