Holden Monaro GTS 327 1968

A primeira máquina esportiva da Austrália.

Eles tem o sotaque parecido com o dos britânicos e dirigem do ‘lado errado’ também. Por outro lado (literalmente) gostam de carros grandes com motores enormes, assim como os americanos costumavam. Essas particularidades tornam a indústria de automóveis da Austrália muito particular.

Parece o Opala, mas não é.

E ao contrário dos Yankees, sua paixão pelas barcas de alta cilindrada, mesmo depois de suas crises energéticas e, mais recentemente, a vilanização do automóvel, sempre se manteve em alta. Uma rápida olhada nos sites da Holden e da Ford daquele país não me deixam mentir.

Detalhes do GTS.

Um dos maiores ícones dessa paixão, é o Holden Monaro, produzido em duas fases diferentes. A era clássica, de 1968 a 1977 e, mais recentemente, de 2001 a 2005. A banana comeu o macaco em 2005, quando os Monaros foram re-apelidados com a legendária alcunha  ‘Pontiac GTO’, ícone-mór dos Muscle Cars na América.

Mais semelhanças, mas não insista. Não é um Opala.

O Aussie Muscle ainda foi exportado pros mercados da África do Sul, Reino Unido e Oriente Médio. Em 2008, o Holden Coupe 60 reacendeu a expectativa de produção de uma nova geração de Monaros. A crise da matriz GM jogou um jato de água fria nessa possibilidade.

Out To Drive You Wild: Indeed Mate.

Mas há 42 anos atrás, quando foi apresentado, o Monaro era oferecido em sua versão top como GTS 327. Os dígitos fazem menção a cilindrada cúbica do motor V8 de 5.7 litros e 250hp que equipava o modelo.

O estilo seguia a tendência da época, com carroceria no estilo “Garrafa de Coca-Cola”, muito semelhante a do nosso querido Opala. Já o visual também não fugia do padrão cor marcante e faixas decorativas. Definitivamente, um clássico cujo o único defeito é não ser tão conhecido fora da Oceania.

Anúncios

11 comentários Adicione o seu

  1. Fad 22 disse:

    Pow vei, É UMA PUTA FALTA DE SACANAGEM, que todos o carros que parecem, ou foram baseados no Opala, tiveram suas versões V8 e nós os brasileiro mais uma vez tomamos naquele lugar…

    Mas mesmo assim, ficou super feliz com o nosso queridinho 250…

    😀

    1. Fad,

      Veja pelo lado bom. Todos os carros nacionais que levaram um motor V8 embaixo do capô tiveram uma vida curta. O Opala durou mais de duas décadas sem perder seu 6cc, que pode não ser tão glamuroso quanto um 8, mas tem o seu próprio brilho.

      Abs.

  2. sentinelamopar disse:

    fico imaginando o opala se tivesse sido lançado uma versão ss8 com este motor, ia ser muito lindo de se ver.

    1. Resta saber se a estrutura do Opala aguentaria o tranco em escala industrial. Originalmente, o Rekord era apenas equipado com motores 4cc. A instalação do 6cc já foi uma baita ousadia da GM Brasileira. Mas, sem dúvida, seria lindo mesmo ver o Opala com um V8 small block no cofre.

      Abs.

      1. Alexandre Zamariolli disse:

        Daniel,

        Não se esqueça de que o Opel Commodore, versão mais luxuosa do Rekord C, saiu com um motor de seis cilindros e 2490 cm³.

        Nada a ver com nosso querido 4100 (o deslocamento do seis alemão equivalia ao do nosso Opala 4), mas acabamos sentindo o gosto mesmo assim: foi desse “seizinho” que veio o 3,0 do nosso primeiro Omega.

      2. Bem lembrado Alexandre,

        Era um 6, com cilindrada de 4. O Small Block da GM tem o dobro da cilindrada. O ‘seisinho’ europeu não tinha o peso nem o torque do 4100. Não é raro ouvir depoimento de fissuras na estrutura do Opala por causa da força ‘nosso’ 6. Imagine se fosse um V8…rs

        Abs.

  3. Fad 22 disse:

    Pois então Daniel tem esse detalhe…
    Mas o Opala fez bastante sucesso, pelo fato de ser um carro de mecânica simples, de fácil manutenção e entendimento… E feito com material de boa qualidade, no que fez ele resistente e caiu no gosto dos brasileiro (boa parte)…
    E como o ‘sentinelamopar’ falou, seria bem massa um opcional de um oitão nele… Maaaaaaas também não tem nada mais charmoso do que um ronco dum 250-S, não se compara ao ronco de um V8… Mas entre os Opaleiro, é a coisa mais linda… 😀

    1. É verdade Fad,

      São vários fatores que fizeram o Opala durar tanto tempo, entre eles, os pontos que você mencionou.

      Mas não podemos esquecer que a maior parte do tempo de produção do Opala, o Brasil, entre 1974 e 1991, estave fechado para importação de veículos.
      Logo, as montadoras daqui se por questões econômicas e falta de ral concorrência, passaram a fabricar os mesmos carros por muito tempo.

      Abs.

  4. grapiglia disse:

    só por que eu ia fala que parecia um opala :p

  5. Vitor Castro disse:

    Já li que esse Monaro também foi baseado no Opel Rekord, como o Opala…

    E outra, os Omegas importados(australianos) são Holden Monaros…

    1. Vitor,

      Li uma matéria na Opala & Cia dizendo que eram derivados do Opel Rekord, assim como o Opala. Ainda assim, tenho minhas dúvidas. São carros diferentes, porém com vagas semelhanças.

      Coloque a foto de ambos lado a lado e notará as diferenças. Isso sem contar as diferenças em dimensões. O Australiano é um pouco maior e mais largo. Houveram modelos diretamente derivados Opel Rekord, além do Opala, com diferenças mínimas como o GM Ranger, comercializado na Belgica e Africa do Sul

      https://parachoquescromados.wordpress.com/2010/08/08/o-obscuro-gm-ranger/

      Sim, os Omegas, que deixaram de ser importados e deram lugar ao Malibu, pelo menos mercadológicamente, são Holden Monaros. Só não entendi o que isso tem a ver com as semelhanças e diferenças do Monaro com o Opala…

      Abs e Obrigado pela visita.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s