Opala SS6 versus Peugeot 307

No último fim de semana, a Rede Globo promoveu um desafio envolvendo uma réplica do primeiro Stock Car – um Opala 6 cil. 1979 – e uma bolha de resina (que lembra um Peugeot 307) com um motor Chevrolet V8 – do campeonato atual da categoria. Após a matéria no Esporte Espetacular, muito se especulou sobre a fidelidade da tal réplica, que foi guiada pelo primeiro campeão Paulo Gomes, no que diz respeito ao desempenho. Muitos argumentam que  o carro é um Opala comum, sem a preparação da época, com uma pintura de corrida apenas. Mas não vou entrar nesse mérito, mesmo porque não sei  quais eram os meandros da preparação daquela época. O que proponho nesse post – e a título de curiosidade – é comparar o desempenho dos dois modelos no significado literal da palavra Stock (estoque em inglês), ou seja,  como se saem os dois modelos que foram oferecidos ao público?

Este slideshow necessita de JavaScript.

Depois de uma pesquisa, consegui os números do Opala SS6 1976 e do Peugeot 307 Sedan 2006, ambos aferidos pela revista Quatro Rodas em seus respectivos anos.

Potência

De origem francesa, mas fabricado na Argentina, o Peugeot do teste é equipado com um motor flex 1.6 de 143 cavalos. O Opala, 30 anos mais “experiente”, fabricado em São Caetano do Sul, era equiapdo com o motor 6 cilindros em linha, 4.1 de 171 cavalos. No quesito “Cavalos no Aras” , como os números indicam, o Opala leva uma vantagem tranquila.

Aceleração

O ‘hermano’ de sotaque francês leva 12,5 segundos para alcançar os 100 km/h. Já o “Super Sport”  foi quase um segundo mais rápido para alcançar os três dígitos no velocímetro. Foram 11,67 segundos.

Velocidade Máxima

Esse é o quesito em que o franco-argentino leva vantagem, mas com um grande asterisco. Nas medições da revista, o 307 alcançou os 203 km/h ante 189,7 km/h do SS. Mas é preciso lembrar que em 1976, ano do teste do Opala, a Quatro Rodas testava a velocidade final dos carros em uma pista curta para esse tipo de aferição, não permitindo que os modelos desenvolvessem todo seu potencial.

Consumo

Esse é o ponto em que todos devem pensar “Ah, agora é que a onça vai beber água” ou, nesse caso, o Opala beber gasolina. Mas antes, vamos aos números do 307, que fez 7.8 Km/l na cidade e 11.6 na estrada. As medidas do Opala na matéria da revista são diferentes, mas vamos lá.  A 40 km/h, são 11,52 km/l, 20 kilometros mais rápido o consumo aumenta, são 10,78 km/l, a 80 km/h  são 9.56 km/l, a 100km/h são 9.10 km/h e a 120 km/h o consumo aumenta dramáticamente, para 6.63 Km/l. Como se vê, não há uma diferença dramática nesse quesito entre os dois carros.

Dimensões

O esportivo da Chevrolet tem proporções robustas, são 4,67m de comprimento por 1,75m de largura. Já o Sedan da marca do “Leão Rampante” tem 4.48m por 1.76m, respectivamente. Na balança, o Opala marca 1.1 toneladas contra 1.3 do 307.

Diante desses números, seria interessante ver uma volta dos dois carros, em Interlagos. Acho que seria uma briga parelha. Afinal, a  Stock Car existe, pelo menos a princípio, para promover os modelos de fábrica e, com as vitórias nas pistas, alavancar suas vendas dos “Carros em Estoque” nas concessionárias. Mas sabemos que isso é pura masturbação automobilística da minha parte, pois, uma vitória de um carro de 34 anos original de fábrica em cima de um ainda em produção seria um tiro pela culatra.

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

  1. grapiglia disse:

    mesma coisa que compara fusca com bugati veyron.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s