40 Anos de Uma Marca Histórica

Pátio dos sonhos.
Provavelmente onde lendas eram transformados em mitos.

Duas fotos de época incríveis. O que aparenta ser o pátio da Dodge onde os Chargers aguardavam para ser transformados em Daytonas, no verão americano de 1969. Modelos que viriam ser os mais vitoriosos da Chrysler na Nascar.

Um dos carros mais velozes da Nascar...

O Dodge Charger Daytona foi o primeiro carro da Nascar (quando ainda se usavam automóveis e não bolhas de plástico) a ultrapassar a barreira das 200 mph ou 320 km/h.

...agora descansa no museu de Talladega.

O autor de tal façanha foi Buddy Baker há, exatos, 40 anos, no dia 24 de março de 1970, no circuito de Talladega a bordo do seu Charger Daytona #88.

Um fato curioso é que eu já sabia que o Daytona havia estabelecido essa marca, mas a assustadora coincidência é que foi exatamente hoje, dia em que o Parachoques Cromados completa um ano. Estamos em boa companhia.

5 comentários Adicione o seu

  1. Rodrigo Tavares disse:

    Um detalhe interresante sobra o Daytona é que antes dele, a NASCAR corria com os vidros fechados no super ovais, mas graças a velocidade impressionante do Daytona, um jeito que a Nascar achou de deixa-lo mais lento foi obriga-los a andar de vidro aberto, prejudicando a aerodinamica, mas não ajudou em muito e eles foram muito superiores a concorrencia en toda a temporada.

  2. Rodrigo Tavares disse:

    Esqueçi deste detalhe: olhe a foto da corrida de 1968:

    1. Esses da foto são os Chargers 68 “comuns” (entre aspas porque um carro desses é qualquer coisa, menos comum). Em 1969 eles lançaram o Charger 500, que foi homologado para melhorar a performance do carro na Nascar. A diferença é que ele tinha as laternas fixas e a eliminação da coluna “C” prolongada. Mas tb não deu muito certo. O problema é que o design da frente do Charger “comum” engolia muito ar e a coluna “C” prolongada provocava muita turbulência. A asa, o bico e a eliminação dos prolongamentos foi chave pro sucesso dos Superbirds e Daytonas, além, é claro, de uma coisa chamada motor Hemi.

      1. Deveria ter escrito isso no post, mas tudo bem. Fiquei pasmo com a coincidencia monstruosa de escrever a parada no dia do recorde sem saber…rs

    2. Interessante ter um Charger 67 e outros dois 68 trocando tinta na pista. Excelente contribuição.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s