Os “Parachoques Cromados” em Fast & Furious 4

A série Fast & Furious faz um grande sucesso por misturar a cultura de carros com corridas ilegais e muita ficção. Tentando agradar a todos os tipos de aficcionados por máquinas, os produtores procuraram misturar diferentes “correntes de pensamento” dessa cultura, as duas principais são os carros japoneses abarrotados de spoilers e os Muscle Cars (meus favoritos).

Ressureição: Charger com Supercharged Chrysler 426 Hemi V-8
Ressureição: Charger com Supercharged Chrysler 426 Hemi V-8

Além do Gran Torino, já mencionado no post abaixo, a franquia Fast & Furious traz mais carros antigos em seu “elenco”. Digo isso, porque nesse tipo de filme, as verdadeiras estrelas são os carros. As histórias são bem medíocres pra dizer a verdade. (Ainda não engoli aquela invencionisse do último filme, onde colocaram o motor de um Nissan Silvia num Mustang 1968 Fastback).

Para este quarto filme, os produtores resolveram trazer de volta alguns carros que marcaram a franquia, principalmente no primeiro da série. No filme de 2001, o que se via eram dezenas e dezenas de carros japoneses, mas de quem o público se lembrava mesmo era outro modelo, o Dodge Charger 1970 de Toretto (Vin Diesel), usado na última cena de ação.

Foram usados quatro Chargers para o filme atual. Um com o clássico motor Hemi modificado e outros 3 com motores Chevy 350 para manter o custo baixo. Ao longo dos anos, o Charger foi muito judiado pela a indústria do entretenimento. (Odeio a série Dukes of Hazzard por causa disso, estima-se que quase 300 Charges 1969 foram destrídos na série). O rareamento desses carros elevaram seus preços substacialmente, fazendo com a equipe do filme tivesse dificuldades para encontrar exemplares.

Como o de fábrica: A única alteração feita no Chevelle foram as rodas Cragar de 18 polegadas.
Como o de fábrica: A única alteração feita no Chevelle foram as rodas Cragar de 18 polegadas.

Ao final do primeiro filme, de 2001, o personagem de Vin Diesel, Dominic Toretto, é visto num lindo Chevelle SS 454 1970 rumo ao México. Poucos notaram essa cena, mas ela não passou desapercebida pelo coordenador dos carros no filme, Dennis McCarthy. A ligação com o filme atual é que, para não ser reconhecido, Toretto modifica o Chevelle retirando sua pintura original, cobrindo-a com primer, e envenenando o motor para disputar rachas. Ebora retratado no filme como um legítimo 454 Ls6, foram adiquiridos pela produção, dois Chevelles SS 396 no ebay. Como não participaram de nenhuma cena mais arriscada, ambos sobreviveram as filmagens e hoje estão guardados. Menos mal.

Chevy Truck 1967 com o V8 502. Puro torque.
Chevy Truck 1967 com o V8 502. Puro torque.

Uma novidade interessante foi incluída na última versão de Fast & Furious. Trata-se de um Chevy Truck 1967 muito modificado. No primeiro filme existem muitas cenas absurdas envolvendo o roubo de cargas. Os caminhões pareciam estar sendo guiados por computadores ou no piloto automático, pois os motoristas não demonstram qualquer reação. Ao invés de Hondas Civic Coupé, o roteiro atual previa o uso de algumas El Caminos para as novas cenas de roubo a carga. McCarthy logo descartou e sugeriu o uso de um veículo mais plausível e é aí que o Chevy entra em cena. Ele é quipado com o gigantesco motor Chevrolet de 502 polegadas cúbicas e os maiores pneus traseiros que a produção conseguiu encontrar. Assim como os Chevelles, nada de mais grave aconteceu com os dois exemplares dessa linda picape e atualmente elas estão guardadas.

Trata-se de um V6 Turbo ou V8 350?
Trata-se de um V6 Turbo ou V8 350?

A outra  novidade está na inclusão de um carro dos anos 80, o Buick Grand National ou GN-X 1987, também dirigido pelo personagem de Vin Diesel. Ao que tudo indica o carrão, da era dos mullets e sintetizadores, aparece logo na cena de ação na abertura do filme. Ao todo, 7 carros foram usados e maioria deles tiveram um fim trágico. Um atenuante é que apenas um GN-X foi usado pela produção, os outro 6 eram Grand Nationals comuns. O dado curioso é que alguns não usaram o seu tradicional motor V6 turbo e sim o bom e velho v8 350. Outra curiosidade é que um deles teve o seu chassi invertido para que fosse realizada uma cena onde o carro anda de ré em alta velocidade.

Vamos aguardar e ver o resultado do filme. É uma mistura de emoções ver esses carros antigos em filmes de ação. Ao mesmo tempo em que é divertido vê-los fazendo acrobacias, me ocorre tamém que alguns são destruídos para se fazer algumas cenas. Em breve colocarei aqui mais alguns carros usados no filme, que tem previsão de estréia em abril.

5 comentários Adicione o seu

  1. sonia iasi disse:

    Olá, somos uma empresa localizada na capital do estado de São Paulo, especializada na fabricação de vidros de todos os tipos em acrílico e policarbonato. Atendemos a vários clientes colecionadores de carros antigos, esportivos, modificados, bem como corredores da Stock Car. Os vidros, lanternas, e outros objetos ficam perfeitos, oferecendo durabilidade e resistência muito maiores do que os originais.

    Aproveitamos para esclarecer que a confecção em acrílico aceita qualquer tipo de moldagem, e pode ser efetuada em qualquer espessura e cor, além de poder ser polido, caso haja algum problema decorrente do uso intenso, porém quebra com grandes impactos.

    Já o policarbonato não dobra, logo não aceita moldagem, apenas uma pequena curvatura, não quebra de maneira nenhuma, e não pode ser polido. Sempre sugerimos que o uso para vidros das portas, ou parabrisa, as peças sejam protegidas com insu film transparente.

    Por fim, ainda queremos salientar que os nossos fornecedores de chapas só trabalham com material de 1a. linha, que não amarela e não fica quebradiço com exposição ao sol.

    Colocamo-nos a disposição para quaisquer esclarecimentos nos telefones 011 9379 66 83, 2506.2721, e no email soniaiasi@gmail.com.

    Em anexo algumas fotos.

    Agradecemos

    Villa Nova Acrílicos
    Sonia Iasi
    G.Marketing

    1. Ok, legal. Mas qual o contexto desse comentário?

      1. Renilson disse:

        Propaganda. Essa é a resposta da colega…

  2. Renilson disse:

    Boa noite!
    Posso publicar essa matéria em meu Blog garagemdore.wordpress.com???

    Aguardo um retorno, obrigado!

    Renilson
    registro.cadastro@gmail.com

    1. Boa noite Renilson,

      O ideal seria voce apenas reproduzir o primeiro parágrafo e o link pro meu blog. Desta forma você dá a introdução ao assunto e convida o internauta a continuar a leitura no site original.

      Abraço.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s